Cetáceos com Dentes

Golfinhos Oceânicos sem bicos proeminentes

Neste grupo existe uma grande variabilidade. Além das diferenças na cor e no padrão, as formas dos corpos, bicos e barbatanas são igualmente altamente variáveis. Algumas espécies até mudam de aparência à medida que envelhecem. No entanto, eles partilham um certo número de características, incluindo bicos indistintos e relativamente pequenos, corpos robustos, uma cabeça com ligeiro declive e um entalhe no meio da barbatana caudal. A maioria possui uma barbatana dorsal proeminente.

Ilustrações: Fishpics® & IMAR-DOP, UAç

    Orca (Orcinus orca)

    Antigamente conhecida por Baleia Assassina, trata-se do maior membro da família dos golfinhos. A sua cor preta escura, marcas brancas e cinzentas e uma enorme barbatana dorsal no macho, torna relativamente fácil a identificação desta espécie. Possuem coloração negra com manchas brancas nas zonas laterais. Possuem também uma mancha branca elíptica, conspícua atrás de cada olho e uma outra marca em desenho de sela mesmo atrás da barbatana dorsal. São animais curiosos e deixam-se aproximar. Nadadores rápidos. Vivem em grupos de diferentes famílias.

    Baleia Piloto de Barbatana Longa (Globicephala melas)

    Partilham o mesmo género (Globicephala) com as baleias piloto de barbatana curta. A razão do seu nome prende-se com o facto de possuírem grandes barbatanas peitorais. Possuem uma cabeça bulbosa preta ou cinzenta escura e marcas em cinzento claro ou branco na zona da garganta e da barriga. É curioso afirmar que essa marca, tem uma forma de âncora. Como anteriormente referido, as barbatanas peitorais são tão grandes que podem atingir 15 a 20 % do comprimento total do corpo do animal.

    Baleia Piloto Tropical (Globicephala macrorhynchus)

    Este animal prefere águas profundas e tropicais. Muitas vezes são encontrados juntamente com golfinhos roazes e outros pequenos cetáceos. São animais sociais e enquanto viajam, diferentes grupos podem ser vistos agregados por muitos quilómetros. Esta espécie apresenta uma coloração azul cinza com uma risca diagonal branca atrás de cada olho. Grupos inteiros são por vezes avistados a nadar à superfície permitindo muitas vezes a aproximação de barcos.

    Falsa Orca (Pseudorca crassidens)

    Estes animais têm uma coloração corporal cinzenta escura ou preta, com uma marca em forma de "w" branca ou cinza, no peito. Possuem uma cabeça longa esguia e que estreita num bico redondo. São nadadores activos e rápidos. Aproximam-se do barco por curiosidade. Muitas vezes saltam fora de água. É frequente também levantarem a cabeça e a maioria do corpo fora de água aquando o momento de emergirem à superfície, onde por vezes são visíveis as barbatanas.

    Grampo (Grampus griseus)

    É relativamente fácil de identificar, particularmente quando são velhos. Têm uma cor azul cinza, castanho cinza ou quase totalmente brancos. Possuem variações cromáticas à medida que envelhecem. Ao nascerem são uniformemente cinzentos, em estado juvenil tornam-se castanho achocolatado e à medida que avançam na idade, a sua coloração corporal desvanece para um cinzento muito pálido. Têm uma cabeça arredondada com um declive proeminente até à boca. O mergulho típico dura entre 1 a 2 minutos mas podem manter-se debaixo de água até 30 minutos. Trata-se uma espécie muito tímida mas por vezes é-nos possível aproximar. Podem ser vistos associados a outros golfinhos, principalmente, baleias piloto.

Golfinhos Oceânicos com bicos proeminentes

Estes golfinhos possuem bicos alongados e bem definidos, corpos compactos, zonas anteriores com um ligeiro declive. Possuem também um entalhe no centro da barbatana caudal. Em tamanho, estes golfinhos podem atingir entre os 1,3m até 3,9m.

Sequência de mergulho (natação lenta):

Golfinho emerge lentamente;

Parte posterior da cabeça, dorso e barbatana dorsal emerge acima da linha de água;

Cabeça afunda e o dorso movimenta-se para a frente;

Golfinho submerge e deixa de ser visto; movimentos caudais podem ser vistos aquando a imersão do golfinho.

Sequência de mergulho (natação rápida):

Golfinho emerge a grande velocidade;

Começa a abandonar a linha da água num ângulo apertado;

O corpo sai todo fora de água;

Reentra de cabeça, na água .

Ilustrações: Fishpics® & IMAR-DOP, UAç

    Caldeirão (Steno bredanensis)

    É uma espécie raramente avistada e pouco conhecida. O seu longo e estreito bico funde-se com a sua cabeça sem que haja algum vinco. O estreitamento da sua cabeça e o olhos grandes fora do comum, dão uma aparência semelhante a um réptil. Têm uma coloração cinzento escuro. A zona dos lábios e garganta, é branca ou cor-de-rosa. São de difícil observação, principalmente pelo facto de terem a capacidade de ficarem de baixo de água até 15 minutos.

    Golfinho de Fraser (Lagenodelphis hosel)

    Ao nascerem, as crias desta espécie podem alcançar 1m de comprimento e 30 Kg de peso. À medida que crescem, podem alcançar os 2,75 m de comprimento e 200 Kg de peso. De uma forma geral, membros desta espécie possuem barbatanas curtas onde a dorsal e também o bico têm tamanhos modestos. A parte de cima do corpo varia entre o azul acinzentado e castanho acinzentado. Também existe uma linha cor de creme que se prolonga , pelos flancos, desde o bico, por cima do olho até ao ânus. Existe igualmente um risca escura mesmo abaixo desta linha. Normalmente a zona da barriga e da garganta é branca mas por vezes pode ser cor-de-rosa. Quando observados de longe, esta espécie pode ser mal interpretada e confundida pelo golfinho riscado, por consequência da sua coloração semelhante e pelo facto de poderem serem encontrados nas mesmas regiões.

    Golfinho Riscado (Stenella coeruleoalba)

    São facilmente identificados pela sua risca distinta ao longo do seu corpo. Têm uma marca, em forma de dedo, cinzenta pálida por baixo da barbatana dorsal. Na zona superior do corpo possuem cores cinzento-azulado e são brancos ou cor-de-rosa na zona da barriga. São muito activos e facilmente avistados, pois frequentemente saltam fora de água e de forma acrobática. São muitas vezes avistados em associação com golfinhos comuns.

    Golfinho Pintado do Atlântico (Stenella frontalis)

    Esta espécie possui pintas claras a cobrir zonas escuras do corpo e pintas escuras a cobrir zonas claras do corpo. Possuem também uma banda acinzentada ao longo de cada lado do corpo. O padrão de pintas varia de individuo para individuo e de região para região. Podem estar concentradas ou mais espaçadas e podem ser quase ausentes, sobretudo nos exemplares mais jovens, uma vez que a quantidade de pintas vai aumentando com a idade. São extremamente activos, rápidos e nadadores energéticos, sobretudo à superfície, onde por vezes saltam fora de água. Podem ser vistos associados a Roazes Corvineiros. Possuem uma estrutura social complexa, onde acredita-se que exista reconhecimento individual e ligações afectivas entre os elementos.

    Golfinho Roaz Corvineiro (Tursiops truncatus)

    Têm uma coloração acinzentada em todo o dorso e cinzento claro até rosado em alguns casos, na zona da barriga. Possuem um corpo robusto. A barbatana caudal têm um entalhe no meio. Esta espécie, por vezes mostra a barbatana caudal ao mergulhar. São altamente activos na superfície e podem ser encontrados em associação com muitos outros cetáceos, tubarões e tartarugas. São nadadores poderosos e por vezes têm o comportamento de acompanhamento à proa.

    Golfinho Comum (Delphinus delphis)

    São muitas vezes avistados em grandes grupos desde algumas dezenas até várias centenas, onde o número pode variar por época e por altura do dia. São nadadores muito rápidos e acrobáticos. Estes possuem uma coloração escura na parte posterior. Existe um padrão que se assemelha a uma ampulheta nas zonas laterais com marcas amarelas desde o olho até ao meio do corpo e cinzento até à zona da barbatana caudal. Também possuem uma cor branca /creme na zona peitoral. Neste espécie, é possível observar diferentes tipos de bicos, variando no tamanho e largura. As barbatanas dorsais variam desde bastante curvas até quase triangulares e na cor variam entre o preto até ao cinzento claro.

Cachalotes

Todos os cachalotes têm uma estrutura no interior do crânio, denominada órgão do espermacete, e que é enchida por uma cera chamada espermacete. Esta tem a função de ajudar o animal na flutuabilidade ao longo da coluna de água e possivelmente também actua como uma lente acústica para orientar o foco dos sons da eco-localização.

Estas espécies preferem águas profundas onde possam alimentar-se de lulas.

Tamanho varia entre os 2,1 m e os 18 m de comprimento.

Sequencia de mergulho:

Emerge à superfície lenta e deliberadamente;

Ergue a cabeça sem rolar o corpo para a frente;

Deixa-se afundar e mergulha;

Em média os mergulhos atingem os 200 a 300 m.

Ilustrações: Fishpics® & IMAR-DOP, UAç

    Cachalote anão (Kogla simus)

    Geralmente vivem muito longe da costa. Têm um corpo azulado, acinzentado ou cinza escuro/preto com a zona peitoral mais pálida. Possuem também uma falsa guelra, um maxilar suspenso e um arco cor de creme por detrás de cada olho. Possuem uma barbatana proeminente em forma de foice.

    Cachalote Pigmeu (Kogla breviceps)

    Raramente avistado porque tem a tendência de viver a longas distancias da costa e têm habitats dificilmente detectados. A sua coloração varia entre o cinzento escuro para azul metálico na zona superior do corpo. A parte inferior é mais pálida e pode ser em alguns casos ser rosado. Possuem uma falsa guelra atrás de cada olho e pode assemelhar-se a um tubarão. Têm uma pequena barbatana, em forma de foice e de gancho. Nota-se também a presença de uma marca circular na frente de cada olho.

    Cachalote (Physeter macrocephalus)

    Quando à superfície, o seu sopro disperso, inclinado para o lado e para a frente é suficiente para identificar esta espécie. A sua coloração varia entre o castanho arroxeado e um cinza escura com a pele enrugada. Podem manter-se submersos por mais de duas horas, mas o mergulho típico não dura mais de 45 minutos. O intervalo entre mergulhos varia entre 5 a 15 minutos. Quando à superfície, normalmente mantem-se quase imóveis mas podem nadar lentamente. Sequencia de mergulho: Emerge à superfície lenta e deliberadamente Ergue a cabeça sem rolar o corpo para a frente Deixa-se afundar e mergulha Em média os mergulhos atingem os 200 a 300 m

Baleias de Bico

As baleias de bico representam o grupo menos estudado de todos os cetáceos. Alguns nem foram avistados vivos. Nos Açores existem seis espécies registadas. Regra geral vivem em águas profundas longe de terra. São pequenos a medio porte e atingem desde os 4m até os 13 m de comprimento. A característica mais marcante são os dentes dos machos. A sua forma e posição são muitas vezes cruciais para a identificação da espécie. A maioria são têm dois dentes na maxila inferior e nenhum na superior. Também existe variação na cor dos animais.

Sequencia de mergulho:

Cabeça e dorso (até à barbatana dorsal), por vezes, visíveis quando a baleia emerge;

Depois do sopro, a baleia emerge grande parte do corpo;

Barbatana caudal pode levantar acima da superfície em preparação para o mergulho;

Mergulho é profundo, mas a baleia de bico tem tendência a não viajar muito na horizontal enquanto está submersa.

Ilustrações: Fishpics® & IMAR-DOP, UAç

    Baleia de Bico de True (Mesoplodon mirus)

    Ainda não foram positivamente identificados em mar alto, por isso nada é sabido acerca do seu comportamento. Possuem uma coloração cinza escura ou azul-cinza e cinza mosqueado na zona da barriga. Têm uma barbatana dorsal pequena e curva.

    Baleia de Bico de Blainville (Mesoplodon desinrostris)

    Trata-se um dos cetáceos mais estranhos. Têm um par de dentes massivos que crescem a partir de saliências no maxilar inferior. São animais tímidos e muito difíceis de encontrar. Possuem uma cabeça anterior achatada e manchas grandes ao longo de todo o corpo. Possuem uma cor azul-cinza escuro no dorso e um padrão mais claro na zona da barriga. Têm uma barbatana dorsal triangular, curva e proeminente.

    Baleia de Bico de Gervais (Mesoplodon europaeus)

    Muito pouco conhecidas mas possuem um dorso cinzento escuro ou azul marinho e cinza pálido na zona da barriga, com manchas brancas. Têm um bico estreito mas proeminente. Possuem uma pequena barbatana dorsal que se assemelha a uma barbatana de tubarão.

    Baleia de Bico de Sowerby (Mesoplodon bidens)

    Foi a primeira baleia de bico a ser descoberta. Pouco é conhecido desta espécie mas possuem um dorso cinza escuro e uma barriga da mesma cor ou branca. Possuem dentes no meio da boca e uma pequena barbatana dorsal. É um animal discreto e não se aproxima das embarcações.

    Botinhoso (Hyperoodon ampullatus)

    Trata-se de um animal curioso e aproxima-se de barcos parados. Foi uma espécie vulnerável durante a época da caça à baleia, durante os séculos XIX e XX. Têm uma cabeça bolbosa que é mais proeminente em indivíduos mais velhos. Têm também um bico semelhante aos golfinhos. A coloração varia entre o cinza escuro e o castanho, sendo a parte anterior da cabeça mais pálida. A barbatana caudal é larga com as extremidades côncavas sem entalhe. Este pode ser levantada no ar antes de um mergulho profundo.

    Zifio ou Baleia de Bico de Cuvier (Ziphius cavirostris)

    Esta baleia de bico parece ser uma das mais abundantes e espalhadas em todo o mundo. Normalmente evita embarcações mas ocasionalmente pode ser curiosa e aproximável. Têm uma cabeça em formato de bico de Ganso. A cor varia de acordo com o sexo, localização e idade. Animais mais velhos podem ser brancos.